AS MISERICÓRDIAS DO SENHOR SÃO AS CAUSAS DE NÃO SERMOS CONSUMIDOS.

 

Os Acusadores levam a ré à presença do Juiz e ela implora:

 

Ré – Sr. Juiz, tenha misericórdia de mim. Eu cometi pecado, mas rogo que me perdoe, conceda-me mais uma oportunidade! Sr. Juiz, eu sei que errei, eu sei que transgredi, sei que falhei, sei que pequei, mas me ajude! Eu quero acertar! Sr. Juiz, tenha misericórdia de mim. Não dê ouvido aos meus acusadores, eu lhe peço humildemente, tenha misericórdia! Tenha piedade! Tenha compaixão! Tenha misericórdia de mim.

 

Acusador 1 – Não tenha, Sr. Juiz! Esta mulher transgrediu o 7º mandamento e a lei de Moisés nos diz que as tais sejam apedrejadas: ela só merece morrer! Essa miserável merece ser massacrada pelos seus atos! Como pode um transgressor pedir clemência ao Senhor? Sr. Juiz, dê a ordem para que possamos apedrejá-la, ela só merece isso!

 

Acusador 2 – Também diz: “Ao que não teme a Deus, ao homem, nem tão pouco a autoridade”; para que serve esta mulher? Mande apedrejá-la, isto é o que ela merece! Sr. Juiz, vamos acabar logo com isto. Autorize logo para aniquilá-la, pois já estou impaciente! Já estou farto de ouvir as besteiras que ela está falando, Sr. Juiz!

 

Acusador 3 – Sr. Juiz, não credite na mentira que esta mulher lhe diz! Esta miserável não está nada arrependida do que fez! O que ela quer é ser absolvida da sentença de morte. Isso é só fachada, Sr. Juiz!

 

Acusador 4 – Ela é sanguinária, não paga impostos, cria tumulto em todo lugar que passa. É azarenta, homicida, imoral, trapaceira, desleal, não respeita o seu próximo, é uma pessoa vil! Sr. Juiz, decrete logo sua sentença de morte, pois já prepararam o lugar onde ela será apedrejada.

 

Acusador 5 – Vamos, Sr. Juiz, pois não vejo a hora de acabar com esta miserável, infeliz e hipócrita. Condene-a, pois não merece estar no meio de nós. Nós não erramos como ela, não pecamos como ela, não somos desleais como ela! Portanto, ela precisa ser morta, Sr. Juiz!

 

1 – Dê-nos a ordem para cumprirmos o que Moisés nos determinou!

2 – Autorize-nos a acabar com ela, Sr. Juiz!

3 – Permita-nos destruí-la, Sr. Juiz!

4 – Autorize para que possamos matá-la, Sr. Juiz!

5 – Vãos logo com essa sentença, Sr. Juiz!

 

Todos – Morte à culpada!

 

1 – Ela pecou!

2 – Ela errou!

3 – Ela falhou!

4 – Ela transgrediu!

5 – Ela é culpada!

 

Todos – Condene logo esta miserável!

 

O Juiz levanta de sua cadeira, escreve e diz: Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra!

 

Os acusadores jogam suas pedras no chão e deixam o plenário revoltados com a decisão do juiz.

 

Juiz – Mulher, onde estão os teus acusadores? Ninguém te condenou?

 

Ré – Não, Sr.

 

Juiz – Nem eu te condeno. Vai em paz e não peques mais!

 

Ré – Glória a Deus, estou livre! Estou livre!

 

Voz Oculta: A misericórdia de Deus vai além dos limites da compreensão humana! Todo os eu passado foi lançado nas profundezas do mar e ela agora é uma nova criatura e, como tal, enquadra-se dentro das promessas bíblicas e torna-se passível da advertência divina: Não vos lembreis das coisas passadas, nem considerai as antigas, porque, se alguém está em Cristo, nova criatura é, as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo! Jesus Cristo quer salvar o mais vil pecador. Ele deseja e pode torná-lo o mais puro dos santos. O Senhor Jesus demonstrou o seu inefável amor aos homens, quando, na cruz do Calvário, ofereceu sacrifício perfeito a sua vida a fim de salvar aos que, arrependidos, o recebam como Senhor e salvador! Amém!

 

Autoria Desconhecida

 

Ore, jejue, decore e compareça aos ensaios: a sua dedicação é muito importante!

Sua dedicação – a garantia da sua participação; sua participação – a garantia de Deus operar em sua vida!